segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Uma prenda inesperada!

Há uns dias a minha filha mais velha chegou a casa muito entusiasmada com uma pergunta para me fazer:

- Mãe… posso fazer-te uma pergunta?
- Pergunta filha!
- Conheces um poeta chamado Eugénio de Andrade?
- Sim, conheço.
- Sabes qual é o verdadeiro nome dele?
- Hum, não me lembro…
- José Fontinhas!

… afirmou com um ar vitorioso, do cimo dos seus 9 anos!

- E trouxe da escola um poema para ti…

Sê paciente; espera
que a palavra amadureça
e se desprenda como um fruto
ao passar o vento que a mereça.

(Eugénio de Andrade)

Obrigada filhotinha!

Etiquetas: ,

4 Comments:

At 15:45, Blogger Freckles said...

Deve ser um doce sabor esse de ver os filhos a ensinarem-nos coisas que também já soubémos mas que o tempo fez o favor de apagar da memória.
Curioso o poema que ela te leu, já pensaste bem?

"Sê paciente; espera
que a palavra amadureça
e se desprenda como um fruto
ao passar o vento que a mereça."

É como quem Kika diz: eu sou palavra, sou o fruto do teu verbo. Vou eventualmente desprender-me da árvore mãe e ganhar raizes próprias. Não tenhas pressa que isso aconteça;)

Beijocas

 
At 22:34, Blogger Gui said...

As coisas que elas já sabem, tão pequenas ainda. Graças a Deus e também ao professor.

 
At 17:39, Anonymous mascar said...

"Ao meu primeiro amor; um gato; desses que nunca chegam a aprender a mijar na serradura mas conservam nos olhos o perpétuo mover das águas"

Eugénio de Andrade
em "Memórias Doutro Rio"

 
At 22:15, Blogger Sophia said...

Fabuloso! Adorava ter estado lá para assistir! Mas eu ainda acho que o poema que ela escreveu sobre a Mafalda está melhor! Lol

Agora a sério, amiga, obrigada por me deixares tantas vezes ser testemunha do crescimento das tuas filhas. Sabes o que isso significa para mim...

Beijos mil

 

Enviar um comentário

<< Home